Wednesday, September 20, 2006

Texto 7

Capítulo II - Era uma vez, que é, que era uma vez...
Até morrer, até morrer.
Até espumar, até ferver



O show era da turnê Sempre Livre Mix, com Paralamas do Sucesso e Titãs. Roberta e sua amiga Bárbara já haviam combinado, há dias, como fariam para ir ao show e, quando chegou a data, acompanharam todas as notícias, desde cedo. A rádio Jovem Pan local transmitia flashes ao vivo de Vitória, nem sempre, para desespero das fãs, com boas notícias. Uma delas era a de que o Ginásio Álvares Cabral não comportaria o número de pessoas para as quais os ingressos foram vendidos e que talvez o show seria cancelado. Beta ficava cada vez mais tensa, já que, apesar de curtir o trabalho dos Titãs, desde criança, aquele seria o primeiro show da banda a que ela assistiria.
Em Vitória chovia muito, mas isso não seria impedimento para perder um show daqueles! Até porque era o primeiro show daquela turnê, que já estava dando o que falar.
Apesar dos boatos, as duas seguiram pra Vitória de táxi e chegaram com cerca duas horas de antecedência (melhor esperar do que chegar atrasada, essa era a idéia). O ginásio estava vazio. E elas, cheias de ansiedade. A dupla chegou a ceder uma entrevista para a Jovem Pan e a radialista achou o máximo duas jovens garotas estarem tão cedo no local do show e com as músicas das duas bandas na ponta da língua.
Com o tempo, o Álvares Cabral foi ficando “menor”, mas as duas faziam questão de ficar na frente. A segurança não era garantida (havia somente uma corda de isolamento), mas o importante era conseguir assistir de pertinho e depois contar pra todo mundo!
Conforme a Jovem Pan havia anunciado, o ginásio estava lotado e via-se gente por todos os cantos. O show começou, e, de cara, com os Titãs, que entraram tocando Sonífera Ilha. Delírio total, o ginásio em coro gritando “Titãs, Titãs, Titãs...”. E as meninas com a emoção à flor da pele.
Devido à lotação, o calor e o empurra-empurra se tornavam cada vez mais intensos, especialmente durante as músicas mais pesadas. Beta resistia, mas sua amiga, Bárbara, não agüentou a pressão e desmaiou, tão de repente quanto inoportunamente. Ao som de Insensível, Roberta tentava socorrer a amiga e ao mesmo tempo lamentava pelo ocorrido e por estar perdendo o show que tanto esperou. Naquele momento de desespero, Beta recorreu a Murillo, um conhecido que trabalha com os Paralamas do Sucesso. Ele estava ao lado dos seguranças, e Beta pediu que as deixassem passar por debaixo da corda para que fosse prestado socorro à amiga. Dito e feito. No entanto, Bárbara não estava bem mesmo e o que lhes restou a fazer foi ir embora, já que era proibido ficar no backstage, e era impossível para Beta voltar para a multidão, tendo a amiga naquelas condições. Roberta lamentou muito, não acreditava que seu sonho estava indo por água abaixo... Mas mesmo tendo visto por pouco tempo o show, por volta de seis músicas, valeu à pena. Deu para sentir, com aquele pedaço de show, que os Titãs são muito feras e mereciam sua admiração.


“Até morrer, até morrer. Até espumar, até ferver” – Agonizando (Titanomaquia – 1993)

0 Palavras:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home